Assim como em qualquer setor da economia, na agricultura os gestores do agronegócio também realizam projeções sobre suas safras. Para isso, a previsão do tempo e clima é uma ferramenta que pode fazer toda a diferença em uma fazenda.

Toda a atividade comercial de um agronegócio depende de fatores naturais, como o regime de chuvas, os fenômenos como El Niño e La Niña, a propagação de pragas e outros. A ocorrência de episódios de granizo, geadas, ventos muito fortes, secas ou outros fatores naturais pode causar uma queda brusca na produção. Chamamos isso de quebra de safra. 

Apesar de não ser possível controlar nenhum desses fatores, a previsão meteorológica permite que o gestor faça um planejamento para proteger a produção da melhor forma. Neste post, exploraremos de que maneira a meteorologia auxilia nisso. Boa leitura!

Quais os principais impactos e como evitá-los?

Alta dos preços

A um olhar mais superficial, a alta dos preços pode parecer uma boa ideia. Afinal, vender seus produtos por um valor maior soa como o sonho de qualquer produtor. Mas na realidade não é bem assim.

Se você for produtor, em algumas quebras de safra a perda na produção é tão grande que mesmo vendendo mais caro você não conseguirá obter os mesmos ganhos que havia planejado, antes de haver a quebra.

Já para quem é comprador de insumos, a alta dos preços é ainda pior: pagando mais caro por uma determinada matéria-prima, o produtor terá ganhos menores. Além disso, em muitos casos, não é possível absorver os custos a mais, e o produtor é obrigado a aumentar os preços dos seus próprios bens, gerando uma reação em cadeia que afeta a inflação no país.

Com uma boa análise da previsão do tempo para o ano, o gestor consegue prever se haverá essa alta e decidir com mais conhecimento a hora de comprar os insumos. Já o produtor pode proteger a lavoura, de modo a mitigar as perdas.

Prejuízos financeiros

Com a quebra de safra, os prejuízos têm basicamente duas origens: de um lado, o produtor precisa lidar com um baixo desempenho de sua própria fazenda. De outro, ele encontra um mercado de insumos com preços altos devido à escassez de matérias-primas no mercado.

A previsão do tempo ajuda o produtor nessas duas frentes. Sabendo o que esperar em termos de tempo e clima, o gestor consegue tomar melhores decisões e proteger a lavoura, garantindo uma melhor safra. E essas mesmas informações ajudam a determinar quando e de quem comprar os insumos, o que pode fazer uma grande diferença em termos de preços.

Atraso nas plantações

Engana-se muito quem acredita que uma quebra de safra é um contratempo que pode ser rapidamente contornável ou um prejuízo de um ano apenas. Esse mau desempenho da lavoura, na verdade, tem consequências também pelo menos no ano seguinte.

As plantas têm um ciclo natural, que obedece ao clima e ao tempo. Com a baixa produção, esse processo sofre alterações, afetando o desenvolvimento das lavouras nos meses a seguir. O que normalmente acontece é um atraso nas plantações, pois o gestor precisa respeitar o ciclo e esperar o momento apropriado para plantar novamente. Isso, é claro, afeta de forma negativa o planejamento e os rendimentos da empresa.

Então, além de ser útil para planejar o ano corrente, a previsão de meteorologia também auxilia nessa estruturação de mais longo prazo. Com uma safra protegida da quebra, o produtor evita o atraso na plantação e pode retomar a produção com mais agilidade.

A melhor forma para o gestor do agronegócio ter boas informações de previsão do tempo e clima é contratando um serviço meteorológico. Além dos boletins e dados, esses serviços oferecem também a interpretação das condições para a situação específica do cliente, ajudando-o a tomar as melhores decisões.

Gostou deste conteúdo? Então apostamos que vai gostar também de entender um pouco melhor sobre a energia biomassa e como ela funciona no Brasil. Leia nosso post e fique por dentro!